SÃO MARTINHO ANTECIPADO

Posted: Novembro 8, 2017 in Uncategorized

Por não ser possível juntar no próprio dia de S. Martinho, 11 de Novembro, as pessoas que frequentam a informática e a ginástica, a AMBC decidiu antecipar para hoje, quarta-feira, essa confraternização que decorreu em ambiente de saudável animação.

Não faltaram as castanhas assadas, a jeropiga e outras bebidas para acompanhar e ainda uma panóplia de salgados e sobremesas que as pessoas presentes fizeram questão de levar e partilhar.

Foi bonita a festa. As alunas da ESEL exibiram um pequeno vídeo alusivo à história de São Martinho e depois foi a vez da dança das cadeiras em que o Correia Ribeiro acabou por ser o mais forte e o justo vencedor. Por fim, a música entrou na festa e toda a gente dançou com muita alegria e boa disposição.

Para o ano haverá mais e esperamos que seja num âmbito bastante mais abrangente.

Anúncios

DESINFECÇÃO DAS ÁRVORES

Posted: Agosto 11, 2017 in Uncategorized

20170811_102516
Hoje, dia 11 de Agosto, esteve uma empresa de desinfecção e tratamento de árvores a aplicar um produto naquelas que se situam na Rua António Duarte, para eliminar o líquido viscoso que as mesmas segregam e que afecta as viaturas estacionadas nas proximidades.

A AMBC informou atempadamente a Junta de Freguesia de Santa Clara sobre o problema e o assunto mereceu a atenção da autarquia que numa primeira fase enviou ao local uma Engª para analisar o problema e hoje procedeu ao respectivo tratamento.

A Associação de Moradores continua a desempenhar um papel fundamental na identificação e denúncia dos problemas do Bairro, sempre insistindo na resolução dos mesmos, as vezes que forem necessárias.

Há outros problemas que ainda não foram resolvidos, para os quais continuaremos a reclamar uma rápida resolução.

Dentro dos possíveis, a AMBC continuará a colaborar com a Junta de Freguesia de Santa Clara com a qual é necessário e desejável um bom relacionamento, para mais facilmente se resolverem os problemas da nossa área de intervenção mas também de toda freguesia.

FENÓMENO DA NATUREZA?

Posted: Julho 12, 2017 in Uncategorized


O que terá acontecido a esta árvore? Ao contrário de todas as outras que são da mesma espécie, não tem flores. Então o que terá acontecido? Tratar-se-á de algum fenómeno da natureza? Algum fenómeno que tenha impedido esta árvore ornamental de florir e cumprir o seu ciclo? Não nos parece porque a natureza é perfeita e quando chega o tempo certo, as plantas florescem e cumprem os seus ciclos.

Pobre planta, como deve sentir-se angustiada e triste por não poder ostentar, tal como as suas companheiras, a elegância dos seus ramos com cachos de vistosas e garridas flores.

Pobre árvore, embora sendo um ser vivo, foi, contudo, totalmente impotente para impedir quem foi capaz de lhe cortar, de uma só penada, sem dó nem piedade, a sua deslumbrante beleza, criada ao longo de um ciclo que o mesmo é dizer, ao longo de um ano.

Não há razões que justifiquem tão infeliz intervenção e, na verdade, ela não devia ter acontecido. Cortar ou podar uma árvore em pleno verão, fora do ciclo próprio, afecta o seu crescimento e a sua saúde e por isso se lamenta tão leviana intervenção.

cerca das 15,30 horas de sábado, 17 de Junho, iniciou-se no Salão de Festas da AMBC, no âmbito da comemoração do 34º aniversário, a tradicional “Tarde Fadista”, onde sucessivamente actuaram, Américo de Sousa, Lena Silva, Maria Augusta e Pedro André. Participaram ainda na Tarde Fadista, Mário Crispim, Manuel Meirelles, Cristina Pinto e Glória Dantas.

A Tarde Fadista foi dividida em duas partes. Na primeira parte, cada fadista cantou três fados, os quais foram calorosamente aplaudidos. A segunda parte foi iniciada com a participação dos três “fadistas” que não estavam no programa, interpretando cada um dois fados. Depois desta brincadeira, os verdadeiros artistas entraram em cena e brindaram-nos com mais uma dúzia de bonitos fados, bem cantados, pois todos eles são possuidores de grande voz. A plateia, constituída por cerca de sete dezenas de associados gostou e aplaudiu calorosamente todas as actuações.

Se Deus quiser, para o ano repetiremos a “Tarde Fadista”.

Mais um ano passou sobre a fundação da AMBC, completando agora 34 anos de existência.

Respeitando a tradição, o aniversário foi comemorado com um almoço à base de grelhados (bifanas, entremeada, entrecosto e escalopes de vitela), salada mista e caldo verde. Depois foi servida uma sobremesa à base de gelatina/gelado, enfeitada com uma cereja e uma folha de hortelã menta. No final, foi servido café e digestivos.

Acabado o almoço, o Senhor Presidente da Direcção pediu a atenção dos presentes para lhes dirigir algumas palavras, intervenção que será publicada noutra página deste site.

Cerca das 15,30 horas, teve lugar a “Tarde Fadista”, no Salão de festas e com a presença de cerca de sete dezenas de associados e que se prolongou até cerca das 17,30 horas.

De seguida foi servido o lanche no Bar Convívio e finalmente, na Sala de Jogos, foi feito um brinde com champagne ao sucesso da AMBC e dos seus associados, cantados os “parabéns” e saboreado o excelente bolo de aniversário.

Os associados confraternizaram e gostaram da festa. Para todos quantos colaboraram na realização do aniversário, nomeadamente, na confecção do almoço, vai um grande obrigado.

E pronto, para o ano se Deus quiser haverá mais.


Em virtude de o Bar Convívio se encontrar encerrado, sem data prevista para reabrir, informamos os associados que podem solicitar a sua inscrição, utilizando a caixa do correio da AMBC e do Senhor Correia Ribeiro que fica na Rua António Duarte nº 13.

O preço da inscrição continua a ser 7,50 euros.

O almoço será servido às 13 horas e constará do menu, uma substancial grelhada mista, acompanhada com batata cozida e salada mista, fazendo ainda parte do mesmo, bebidas, sobremesa e café.

Pelas 15 horas, terá início a Tarde Fadista, a cargo do amigo Américo de Sousa, onde desfilarão 4 a 6 conceituados fadistas.

Pelas 18,00 terá lugar uma pequena alocução do Senhor Presidente da Direcção, à qual se seguirá um brinde e a partilha do bolo de aniversário, depois de se cantar os “parabéns a você”.

ESCLARECIMENTO

Posted: Maio 16, 2017 in Uncategorized


Estes são os modelos de grade que chegaram a ser executados pela Direcção da AMBC

Após ter colocado as grades de protecção nas traseiras da casa, alguns associados vieram perguntar-me porque motivo as mesmas não eram colocadas, em conjunto, em todo o quarteirão. Como resposta, disse aquilo que todos, em meu entender já sabiam: há alguns moradores que não querem as suas casas protegidas com as grades de protecção. E logo de seguida, acrescentei: como fui uma das pessoas que defendi a colocação das grades de protecção e lutei para que as mesmas fossem aprovadas pelo arquitecto responsável pela maquete arquitectónica do Bairro, pela autarquia e depois aprovadas por unanimidade em Assembleia-Geral, entendi que não podia estar dependente da vontade de algumas pessoas para proteger a minha casa, a qual já tinha sofrido algumas intrusões por parte de desconhecidos e de onde chegaram a furtar alguns pertences.

Todos se recordam que em 2007, após termos tomado conta das nossas casas, devido à sua enorme vulnerabilidade no acesso aos logradoiros da frente e a tardoz, quase todos os dias havia casos de intrusão de marginais que levavam o que encontravam.

Para pôr fim a essa rebaldaria diária, a Direcção da AMBC entendeu que era necessário proteger as casas e tratou do assunto. Foram inclusive ensaiados alguns desenhos para servirem de modelo, um deles muito parecido com o que acabou por ser aplicado, oferecido pelo gabinete do arquitecto Frederico Valsassina.

Quando se falou em colocar as grades, foram todos os moradores auscultados e, nessa altura, ficou a saber-se que algumas pessoas não queriam as grades, inclusive elementos pertencentes à Direcção que as tinham aprovado.

Na impossibilidade de se realizar uma empreitada geral, os proprietários dos lotes nºos 26, 27, 28, 29 e 30, por se tratar de um quarteirão separado das restantes habitações, chegaram a um entendimento e colocaram as grades.

No futuro, quem tiver mesmo necessidade de proteger a sua habitação, pode fazê-lo individualmente ou em conjunto com os moradores que estiverem de acordo, respeitando o modelo de grade que está aprovado e autorizado.