Monthly Archives: Agosto 2010

POBRES MENDIGOS…

Embora não sendo um frequentador habitual da zona da Expo, sempre que ali me desloco, à Gare do Oriente, ao Vasco da Gama ou a outro qualquer local, quase sempre encontro os mesmos mendigos, dormindo na zona da Gare ou do Metro, ou deambulando de caixote em caixote do lixo, à procura de alimentos.

No entanto, há um mendigo que quase sempre vejo e desperta a minha atenção. É um homem que andará na casa dos quarenta anos, alto, bem parecido, barba grande, sempre carregado de sacos. Desta vez, quando saía do Vasco da Gama, lá estava ele, no largo fronteiro à gare do Oriente, remexendo o caixote do lixo e falando sozinho. É um espectáculo triste e deprimente que não deveria ser possível neste País.

Vejo mendigos durante anos, nos mesmos locais, vivendo miseravelmente, pior do que animais e ninguém faz nada por essa pobre gente. Que é feito da responsabilidade do Estado e das Instituições de Solidariedade Social, subsidiadas para intervirem nessa área?

Já não é a primeira vez que pergunto por mendigos que entretanto deixei de ver e as pessoas me dizem que morreram. Na realidade, fico com pena mas ao pensar no sofrimento que essas criaturas passaram durante anos a fio e sem qualquer  chance de poderem alterar o seu modo de vida, acabo por concluir que foi o melhor que lhes podia ter acontecido.

Se os governantes fossem criaturas sensíveis e humanas, criariam Instituições que tomassem conta dos homens e das mulheres, caídos em desgraça em determinados momentos difíceis das suas vidas que os obrigou à mendicidade. Não é justo e é absolutamente desumano que o Estado permita tal crueldade.

Passados 35 anos sobre a conquista da liberdade e da democracia, é urgente criar estruturas sociais no País que se dediquem exclusivamente à recolha e tratamento dos mendigos. O que actualmente se passa é uma vergonha nacional. 

 

Anúncios