Monthly Archives: Julho 2013

UM ELOGIO MERECIDO AO ENGº NUNO MARTINS

José Manuel L M de Ceita

Foto tirada no aeroporto da Portela no dia 6.7.2013, vendo-se o Engº Nuno Martins, o Zé Manel e um filho, antes de embarcarem para São Tomé.

Durante mais de uma década, um cidadão são-tomense viveu em condições miseráveis, num exíguo catre, partilhado com dezenas de corpulentas ratazanas. Ainda me interrogo como é que o “Zé Manel”, era assim que o tratava, foi capaz de resistir a tanto sofrimento. Durante todos esses anos, nenhuma Entidade de cariz social foi capaz de se condoer com tão dramático quadro, adiando sucessivamente uma solução.

Embora a barraca se situasse mesmo em frente à entrada principal do SIS (Serviço de Informações de Segurança) e junto a uma via de intenso tráfego, ninguém sentiu vergonha suficiente para acabar com aquele horrível inferno.

Mas a história, muito resumida, está na carta que a Associação de Moradores endereçou à Exma Administração da SGAL, dando-lhe conta da actuação do Senhor Engº Nuno Martins, quadro daquela Empresa.

O elogio é mais que merecido, pela determinação e empenho na resolução de um problema que durava há muitos anos e atentava contra a dignidade de um ser humano que por sinal, era extremamente educado e não merecia ter passado por semelhante provação.

Eis a carta enviada:

Exma Administração da SGAL

Num País onde as pessoas são exímias na arte de complicar e adiar soluções, mesmo as mais simples, não podíamos deixar de enaltecer o importante papel desempenhado pelo Engº Nuno Martins na resolução de uma situação gravíssima vivida pelo cidadão sãotomense José Manuel Lima Marques de Ceita, de 49 anos, ao longo de pelo menos uma década.

Este cidadão viveu num cubículo a que nem barraca se pode chamar (2,20×1,10), sem quaisquer condições de conforto e higiene, num local central, visível aos olhos de toda a gente, mesmo em frente à entrada principal do Serviço de Informações de Segurança (SIS) e junto ao Forte da Ameixoeira e Bairro de Calvanas.

Foram feitas grandes obras na área envolvente e em nenhum momento as autoridades competentes resolveram o seu problema, acabando por ali ficar instalado num exíguo cubículo situado no alto de uma pequena elevação de terreno, resultante dos desaterros efectuados para a construção do Bairro das Calvanas e das vias de comunicação ali existentes.

O Presidente da Direcção da Associação de Moradores do Bairro de Calvanas (AMBC), Senhor Manuel Meirelles, é testemunha das condições desumanas em que viveu o cidadão sãotomense, tendo feito diversas diligências para tentar resolver a sua situação junto da CML e da SCML, entre outras entidades, mas sem qualquer resultado prático. Embora sentindo uma enorme angústia, a nível pessoal ou através da Colectividade, nada podia fazer, a não ser ajudar pontualmente o cidadão, fornecendo-lhe algumas peças de roupa e alimentos.

No início deste ano, o Senhor Engº Nuno Martins contactou o Presidente da Direcção da AMBC para lhe pedir algumas informações sobre o referido cidadão, revelando-lhe que estava decidido a acabar com tão trágica situação, o qual se prontificou imediatamente a prestar toda a colaboração necessária e o processo iniciou-se com um encontro, previamente marcado, com o próprio, a fim de auscultar as suas reivindicações.

Desse primeiro contacto ficou claro que o Engº Nuno Martins ganhou a sua simpatia e confiança e também se concluiu que o Senhor José Manuel L. M. Ceita via com bons olhos a possibilidade de voltar à sua terra natal. Estavam criadas as condições indispensáveis para resolver o processo de repatriamento com êxito e o Engº Nuno Martins iniciou os contactos com a Embaixada e começou a tratar dos documentos bem como da reserva de bilhetes para a viagem de regresso a São Tomé, a qual ocorreu no dia 6 de Julho de 2013, cerca da 1 hora e 15 minutos da madrugada, pondo fim a uma situação que seria inimaginável nos nossos dias e representava um quadro vergonhoso para todas as entidades com responsabilidades sociais que durante uma década não foram capazes de resolver um processo que o Engº Nuno Martins solucionou em pouco mais de 3 meses.

Esta Associação de Moradores que por intermédio do seu Presidente da Direcção acompanhou o processo, não podia deixar de levar ao conhecimento de V. Excias a extraordinária actuação do Engº Nuno Martins, certos de que sem a sua intervenção, aquele quadro aterrador e arrepiante em que vivia o cidadão são-tomense, também chamado de “Ilhota dos Ratos”, já que ali abundavam corpulentas ratazanas que disputavam a alimentação com o “Zé Manel”, iria continuar, com toda a certeza, por muitos mais anos.

Um grande obrigado ao Engº Nuno Martins pelo seu empenhamento na resolução de tão pungente problema e, ao mesmo tempo, felicitar a Exma Administração da SGAL por possuir no seu quadro de pessoal um funcionário que destoa do modo operandi da maioria, pelo seu dinamismo, decisão, capacidade de diálogo e empenho na resolução dos problemas, bem como na defesa dos interesses da Empresa a que pertence.

Da parte da AMBC, a Direcção estará sempre disponível para colaborar sempre que seja necessário.

Com os melhores cumprimentos.

O Presidente da Direcção,
Manuel Meirelles

Anúncios

SERVIÇO DE BAR SÓ PARA SÓCIOS

DSC02923

Desde a inauguração das instalações da Colectividade, em 15 de Abril de 2011 e a entrada em funcionamento do Salão Bar/Convívio em 10 de Maio do mesmo ano que a Direcção da AMBC se vem confrontando com problemas de utilização daquele espaço por parte de pessoas que não são associadas, facto que viola a Lei e que coloca a Direcção numa situação de incumprimento perante a Câmara e as Finanças e lhe pode causar dissabores.

Há pessoas que já foram por várias vezes chamadas à atenção e continuam a utilizar os serviços do Bar Convívio e outras, não só não acataram a chamada de atenção dos dirigentes como ainda lhes faltaram ao respeito, ameaçando mesmo a sua integridade física.

A Associação de Moradores do Bairro de Calvanas, é uma instituição sem fins lucrativos, propriedade dos seus associados e para os associados. Sendo uma Instituição que não paga impostos, não pode fazer concorrência desleal a estabelecimentos que pagam os seus impostos, deixando entrar todas as pessoas, sócias e não sócias, estando impedida de o fazer pela Lei, pelo Regulamento Interno e pelo Protocolo celebrado com a Câmara Municipal de Lisboa quanto à utilização do espaço. O não cumprimento do que está estipulado pode ser punido com coimas e até com o encerramento do espaço.

Quer-nos parecer que as pessoas bem formadas compreenderão que não é por vontade dos dirigentes que se proíbe a entrada a não sócios e essas, não arranjarão problemas. Quanto às pessoas que continuarem a entrar abusivamente, terão que ser denunciadas às autoridades para serem identificadas e posteriormente, se for caso disso, apresentar a respectiva queixa.

Ninguém é obrigado a ser sócio da AMBC contra a sua vontade. Os dirigentes respeitam a vontade de cada um e, nesse sentido, das pessoas que não querem ser sócias, esperamos também que respeitem a Lei e o Regulamento da Colectividade, não entrando no seu Salão Bar Convívio.

PEDE-SE CIVISMO AOS ASSOCIADOS E POPULAÇÃO EM GERAL

DSC06838 - coima

No nosso Bairro há quem não respeite minimamente os espaços públicos, atirando fora toda a espécie de lixo. Há quem atire pela janela comida para os pombos, cães e gatos e há certas áreas no Bairro transformadas numa verdadeira imundície.
Há coimas para quem fornece alimentos nos espaços públicos aos animais e, de certa forma, elas justificam-se para quem, reiteradamente, diariamente, transgride.
Os espaços públicos são pertença de todos os cidadãos e a nenhum cabe o direito de os sujar.
Cabe a cada um de nós, especialmente aqueles que não sujam e gostam de ver o Bairro limpo, a tarefa de denunciar aqueles que não cumprem a lei.
Há pessoas que são indignas de viver num meio civilizado porque se comportam como autênticos animais irracionais.

PARABÉNS AMBC PELA PASSAGEM DE MAIS UM ANIVERSÁRIO

DSC06467

DSC06469

DSC06470

DSC06489

DSC06536

DSC06555

DSC06563

DSC06573

DSC06578

DSC06589

DSC06598
Realizou-se no dia 22 de Junho de 2013 a festa comemorativa do 30º aniversário da AMBC. Foi uma festa simples mas simpática que se iniciou com uma excepcional sardinhada e dizemos excepcional, sem favor, porque a sardinha era mesmo um luxo. A prová-lo, escutámos os comentários abonatórios das pessoas que ficaram radiantes com a qualidade das sardinhas.

Depois da sardinha, febras, caldo verde, sobremesa e café, seguiu-se uma Assembleia-Geral Extraordinária/Sessão Solene, onde foi aprovada por unanimidade uma proposta da Direcção que propunha a atribuição da categoria de sócio honorário ao Senhor Presidente da Direcção.

De seguida, o Senhor Presidente da Assembleia-Geral interveio para anunciar que tinha uma surpresa para o Senhor Presidente da Direcção a quem dirigiu algumas palavras simpáticas e elogiosas. No final, o Membro do Conselho Fiscal, Senhor Horácio Cruz, descerrou a bandeira da AMBC para mostrar ao homenageado e aos presentes, um memorial em mármore 80x50x04, com a sua silhueta e os seguintes dizeres: Manuel C. Meirelles, Presidente da Direcção, Sócio Fundador nº 1, Sócio Benemérito. “Homenagem dos associados ao seu Presidente da Direcção, pela dedicação e empenho dispensados ao longo de 26 anos, em defesa dos interesses do Bairro, dos associados e do prestígio da Associação”. O Senhor Presidente da Mesa da Assembleia-Geral dirigiu depois também algumas palavras elogiosas à Dª Ana Meireles, esposa do Senhor Presidente da Direcção, agradecendo-lhe toda a colaboração prestada e oferecendo-lhe um ramo de flores, entregue pelo membro da Direcção, Senhor Carlos Pereira Fernandes. No final, o Senhor Presidente da Direcção usou da palavra para agradecer a homenagem que lhe foi feita e as palavras elogiosas que lhe foram dirigidas, tendo depois falado sobre a vida e a obra da Colectividade durante o tempo em que presidiu ao seu destino. No final foi muito aplaudido.

Depois seguiu-se uma extraordinária sessão de fados que os associados seguiram com muito interesse e depois cantaram-se os parabéns a você e saboreou-se o bolo de aniversário e finalmente iniciou-se o baile onde todos se divertiram.

Estiveram na festa cerca de 130 pessoas, sendo que 116 eram associados.

Para o ano, se Deus quiser, queremos fazer mais e melhor.

“BAIRRO LIMPO”

CAMPANHA DE LIMPEZA
“BAIRRO LIMPO”

A responsabilidade é de todos

Mas você é responsável pelo seu lixo

FAÇA A SUA PARTE,
FAÇA A DIFERENÇA

Dia 29.06.2013, sábado
Entre as 9 e as 11 horas
Colabore na limpeza do Bairro

JUNTE-SE ÀS PESSOAS QUE NÃO SE CONFORMAM COM O BAIRRO SUJO

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA – “RECORDAR O PASSADO”

DSC06644 DSC06646 DSC06649 DSC06650 No âmbito do 30º aniversário, realizou-se uma exposição fotográfica relativamente aos primeiros dez anos de vida da Associação. As fotos expostas abrangiam todas as áreas de actividade da AMBC, focando aniversários, Reveillon de Fim-de-Ano, Santos Populares, desporto, cultura, recreio e uma série de fotos da antiga Sede e do Bairro. A Colectividade possui milhares de fotos da sua vida e obra e qualquer dia vamos organizar propositadamente uma sessão para mostragem dessas fotos através do Datashow. No dia do aniversário fizemos a projecção de umas centenas delas e os associados gostaram.

JORNADA DE LIMPEZA NO BAIRRO

DSC06657

DSC06656

DSC06662

DSC06660

DSC06655

DSC06653

Realizou-se no dia 29 de Junho, dia de São Pedro, uma jornada de limpeza no Bairro, anunciada com a devida antecedência à população, através de uma comunicação distribuída casa a casa.

No dia e na hora indicada, de uma população de várias centenas de pessoas, compareceram para colaborar pouco mais de meia dúzia, facto que demonstra o desinteresse dos associados relativamente às iniciativas levadas a cabo pela Associação.

Estiveram envolvidos nesta operação, os Serviços de Limpeza da Charneca que com antecedência cortaram a erva e lavaram as ruas e no próprio dia, distribuíram alguns contentores pelas ruas do Bairro para depósito do lixo, tendo procedido à sua recolha ao final da manhã.

Não temos capacidade para obrigar ninguém a colaborar neste tipo de iniciativas mas temos vontade de demonstrar através do nosso exemplo que é sempre possível fazer mais e melhor pelo local onde vivemos, cuidando da sua limpeza e embelezamento.

Os poucos associados que compareceram cumpriram totalmente o objectivo, recolhendo vários contentores de lixo e para a próxima vez se a população continuar a não colaborar, esses mesmos associados não se deixarão vencer pelo desânimo e voltarão a fazer a mesma coisa.

Parabéns a todos quantos colaboraram e obrigado.

MCM