Monthly Archives: Fevereiro 2014

INFORMÁTICA – Almoço/Convívio

Para assinalar o final do período de 4 meses de prestação de serviço social na AMBC por quatro alunas da ESEL, na área da informática, realizou-se um almoço de despedida que contou com a presença das referidas alunas e da Prof. Cláudia, Coordenadora do projecto Erasmus, bem como de alguns alunos que frequentaram as aulas de informática.

O almoço, à base de frango no churrasco, decorreu em ambiente de agradável convívio e no final, para além das lembranças de artesanato oferecidas à Sofia, Raquel, Andreia, Patrícia e Prof. Cláudia Bacatum, o Presidente da Direcção, Senhor Manuel Meirelles, em representação da AMBC e a Prof. Cláudia Bacatum, em representação da ESEL, proferiram algumas palavras, no primeiro caso, agradecendo o trabalho voluntarioso das estudantes da ESEL ao serviço da Colectividade e, no segundo, pelo apoio que os dirigentes da AMBC prestaram às alunas.

Falou ainda uma aluna para dizer que tudo o que sabe de informática, foi-lhe ensinado pelas jovens estudantes de enfermagem da ESEL e para finalizar, a Ana Sofia revelou que gostou muito da experiência e que se sentia satisfeita por ter sido capaz de superar um desafio que nada tinha a ver com o curso de enfermagem.

Eis as palavras do Senhor Presidente da Direcção:

“Nesta ocasião, não podia deixar de dirigir duas palavras de agradecimento à ESEL, na pessoa da Prof. Cláudia Mariana Julião Bacatum, aqui presente, pelo facto de nos ter cedido, durante 4 meses, quatro alunas para ministrar as aulas TIC, e, ao mesmo tempo, agradecer também e dar os parabéns à Sofia, à Raquel, à Andreia e à Patrícia pela sua prestimosa colaboração na actividade de informática que a Colectividade iniciou em 2011.

Do acompanhamento que fizemos, podemos dizer que as alunas tiveram uma conduta irrepreensível e demonstraram, no relacionamento com os alunos, nossos associados, excelentes qualidades para a profissão de enfermagem que escolheram.

Aqui demonstraram interesse, simpatia e compreensão, predicados que caem como uma luva em alguém que como vós querem ser enfermeiras; mas essa profissão exige tudo isso e muito mais: exige uma grande dose de profissionalismo, muita generosidade, carinho, sensibilidade, espírito de sacrifício e uma esmeradíssima educação, alicerçada no respeito que todos os doentes vos devem merecer, em qualquer circunstância.

Pelo que pude apreciar das vossas qualidades, tenho a certeza que irão ser excelentes profissionais e encontrarão trabalho no nosso País, pese embora as graves dificuldades do presente e as muitas incertezas quanto a um futuro melhor.

No fundo, cada um de nós tem que acreditar nas suas capacidades, lutar por elas e nunca perder a esperança de realizar os seus mais ambicionados projectos.

Na minha juventude, quem não soubesse ler e escrever era rotulado de analfabeto. Actualmente, no limiar do século XXI, esse rótulo pode muito bem ser aplicado a quem não sabe utilizar o computador, tal a relevância que as TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) alcançaram nos nossos dias.

Vivemos um tempo em que muito se fala de isolamento e solidão dos idosos e todos verificamos que não é fácil fazer face a tão pungente problema porque a vida se tornou cada vez mais exigente e difícil e os filhos nem sempre podem acompanhar e cuidar dos pais na velhice.

Nós entendemos que através da iniciação à informática, ensinando os nossos idosos a manusear o computador e a fazer algumas coisas básicas como servir-se da internet, enviar um mail, acessar ao facebook, ao skyp e aos jogos de entretenimento, bem como às notícias do País e do Mundo, acabamos, em parte, com o isolamento e a solidão dos idosos, porque o computador passa a ser o companheiro inseparável que os põe em contacto, a qualquer hora do dia ou da noite, com os familiares e amigos.

Porque sabemos o quanto a actividade de informática pode mudar a vida dos seniores, apostamos nela, embora não seja fácil arranjar voluntários para preencher toda uma época que se inicia em Setembro e termina em Junho do ano seguinte.

Porém, não é nosso hábito cruzar os braços e, nesse sentido, estamos confiantes de que havemos de arranjar sempre soluções.

Não vos maço mais. Quero apenas desejar-vos um futuro radiante que contemple todos os vossos ambiciosos projectos.

Um grande abraço de amizade de todos nós e um grande obrigado por parte da Direcção da Colectividade”.

DSC07309 DSC07313 DSC07314 DSC07320 DSC07323

 

Até sempre.

Anúncios