Monthly Archives: Março 2012

GRUPO DE TRABALHO DO BIP/ZIP VISITOU O PROJECTO C3

Na manhã do dia 14.03.2012, entre as 10,30 e as 11,30 horas, dois elementos do Grupo de Trabalho do Programa BIP/ZIP da Câmara Municipal de Lisboa, a Drª Maria Antónia Vitória e o Dr. Ricardo Santiago, honraram-nos com a sua visita que se prendeu com a necessidade de verificar no terreno aspectos relacionados com a concretização do programa do Projecto C3 em Movimento (Re) Descobrir redes na comunidade.

A receber os dois elementos do GT BIP/ZIP, estavam os promotores do Projecto C3, Carla Pousinho, Paula Abreu e Manuel Meirelles. A representante da Associação de Moradores do Bairro da Cruz vermelha, aproveitou para mostrar a Sede da Colectividade, bem como algumas actividades que estavam a decorrer, nomeadamente, um workshop de manicure e uma aula de alfabetização para adultos; mostrou também alguns trabalhos de artesanato e os equipamentos informáticos, adquiridos com o financiamento BIP/ZIP.

Por sua vez, a Drª Paula Abreu, realçou a importância da vertente saúde no Projecto, já que foi através dos vários rastreios e das acções de sensibilização que foi possível um contacto mais directo e uma maior relação de confiança com os seniores. Adiantou que na próxima candidatura se pretende incluir a teleassistência que funciona através de um equipamento fixo ou móvel, que permite ao utente falar com o Call-Center da CVP, o qual avaliará a situação e dará a resposta mais adequada ao alerta. O equipamento móvel permite ainda a localização do utente por GPS. Ainda na área da saúde, foi possível realizar um curso de socorrismo para 2o pessoas, das mais variadas áreas, inclusivé alguns dirigentes das duas Colectividades.

De seguida, servindo-nos do Transporte Solidário, dirigimo-nos todos para a Sede da Associação de Moradores de Calvanas, aproveitando para levar alguns utentes que tinham marcação para essa hora. Durante o trajecto fomos conversando sobre o C3 e identificando o território.

A exemplo do que tinha acontecido na AMBCVL, o Presidente da Direcção da AMBC, fez questão de mostrar as instalações aos elementos do GT BIP/ZIP, bem como os produtos da actividade de artesanato, o equipamento informático e trabalhos da actividade de pintura.

Na oportunidade, o Sr. Meirelles realçou a importância do financiamento BIP/ZIP para o C3, visto que sem ele, não teria sido possível a sua concretização, o que teria sido uma enorme perda.

Não esquecer que foi graças ao sucesso da candidatura ao Programa BIP/ZIP que foi possível alterar a solidão e o isolamento em que viviam algumas centenas de famílias, dando-lhes a possibilidade de se poderem deslocar com facilidade e frequência aos serviços mais diversos de proximidade e, ao mesmo tempo, proporcionar-lhes a prática de actividades que contribuem para o seu bem-estar e cuidam do corpo e da mente.

Nessa perspectiva, sentimos que fizemos renascer a alegria e a vontade de viver de muitas pessoas que achavam que a sua vida já não tinha razão de ser. Pessoas com 70, 80 e mais anos, aprenderam a servir-se do computador e hoje, comunicam facilmente com os seus familiares e amigos através do e-mail, facebook ou skype. Quando falamos com essas pessoas, descobrimos facilmente a alegria que lhes vai na alma pela importância que teve na sua vida a formação TIC, só possível, repito, graças ao financiamento BIP/ZIP.

Mas por outro lado, os nossos seniores que até há cerca de um ano não dispunham de nada, para além do Transporte solidário e da formação TIC, passaram a ter também artesanato, ginástica geriátrica, bailes, convívios, etc. De realçar que todas as actividades têm tido grande sucesso, graças à sua enorme adesão.

Foi também transmitido à Drª Maria Antónia Vitória e ao Dr. Ricardo Santiago que um Projecto com a importância do C3, tem de continuar a cumprir a sua nobre missão, agora mais do que nunca, já que a crise económica afecta sobretudo os mais pobres e também porque os transportes públicos na Alta de Lisboa sofreram uma forte redução.

Por tudo isto, o C3, revisto, melhorado e alargado, vai voltar a candidatar-se ao Programa BIP/ZIP e o sucesso desta candidatura, dará aos seus promotores mais alguns meses para consolidar a sua sustentabilidade, procurando, dentro e fora das Instituições parceiras, uma fórmula duradoira de financiamento do Projecto C3.

 

Anúncios

UM BAIRRO ÀS ESCURAS

A população de Calvanas não compreende a situação de abandono a que foi votado o seu Bairro, construído em 2006 e habitado em Fevereiro de 2007. O Bairro continua à espera que a Exma Comissão Municipal de Toponímia se digne identificar as suas ruas, de forma a que os fornecedores possam chegar ao local sem dificuldade.

Mas o Bairro continua também à espera, ano após ano, que os seus espaços verdes sejam convenientemente tratados, substituindo arbustos e árvores que devido à falta de água durante os períodos secos, não resistiram e morreram.

Sendo um Bairro esquecido, a limpeza, os transportes, o policiamento e a manutenção da iluminação pública deixam muito a desejar.

Actualmente, uma boa parte dos candeeiros públicos encontram-se com as lâmbadas fundidas, havendo zonas completamente às escuras, facto que constitui um verdadeiro atentado à segurança das pessoas e dos seus bens.

Sabendo as entidades competentes competentes que não há por parte do Estado a necessária capaciadade para proteger a segurança das pessoas e dos seus bens, pelo menos devia acautelar a manutenção dos equipamentos que servem as populações, nomeadamente a iluminação pública, não permitindo que num espaço onde há uma dúzia de candeeiros, oito estejam sem luz.

Será que os Serviços a quem cabe a responsabilidade de verificar a iluminação pública nas diferentes zonas de Lisboa se esqueceram do Bairro de Calvanas? Se isso aconteceu, lembramos a sua existência e pedimos que sejam substituídas as lâmpadas fundidas, com a brevidade possível.

Formação TIC com Formadores Voluntários do BARKLAYS BANK

Com o objectivo de dar continuidade ao excelente trabalho realizado pelos Formadores Voluntários do Barclays Bank em 2011, no âmbito do Projecto C3 em Movimento (Re) Descobrir Redes na Comunidade, patrocinado pelo Programa BIP/ZIP da Câmara Municipal de Lisboa, os parceiros do Projecto reuniram ontem, 15.03.2012, com as representantes do Barclays, na sua Sede.

Nesta reunião, estiveram presentes, em representação do Banco, as Exmas Drªs Isabel Peña, Isabel Lourenço e Alexandra Silva e em representação das Instituições promotoras do Projecto, Manuel Meirelles e Carla Pousinho que se faziam acompanhar de Neuza Pestana, representante do parceiro K´Cidade.

A reunião teve como objectivo acertar a data de início e a calendarização das aulas da formação TIC em 2012 e, ao mesmo tempo, discutir a melhor forma de colaboração e os programas mais adequados a aplicar.

A reunião decorreu em ambiente de agradável convívio e foram abordados e tratados todos os assuntos previamente agendados. Nesse sentido, foi decidido que a formação terá início na segunda quinzena de Abril, duas vezes por semana, em dias e horas ainda a decidir.

Mais ficou decidido também nesta reunião que o Barklays iria promover um curso de inglês, em moldes ainda não completamente determinados, em princípio, uma vez por semana.

A Associação de Moradores de Calvanas e os promotores do C3, agradecem a simpatia com que foram recebidos e felicitam o Barklays pelo importante contributo dado ao Projecto, ao qual endereçam votos de muito sucesso.

“O MEU BAIRRO É A MINHA CARA” – ACÇÃO DE LIMPEZA

Decorreu no dia 9 de Março mais uma acção de limpeza, no âmbito do Projecto “O Meu Bairro é a Minha Cara”, com a participação da Associação de Moradores de Calvanas (AMC), Mediateca – CSMusgueira e AVAal. Desta vez, foi possível limpar a erva e proteger com casca de pinheiro, as caldeiras das árvores situadas na Rua dos Sete e no prolongamento da Rua Ruy Cinatti, entre a Sede da Associação de Calvanas e a Rua António Duarte ; as caldeiras estavam mesmo  a precisar de uma limpeza e, de facto, depois do trabalho feito, notou-se a diferença.

Um grande obrigado a todos os participantes nesta acção de limpeza, o Bairro também agradece porque ficou mais bonito. Este tipo de iniciativas serão sempre aprovadas e acarinhadas pelos dirigentes da AMC . Por outro lado, pretende-se também, com estas acções, sensibilizar os moradores para a necessidade de dedicarem um pouco mais da sua atenção à limpeza do Bairro onde vivem.

Algumas imagens sobre a acção de limpeza de 9 de Março em Calvanas e Sete Céus